BIO Curiosidades

Tarsídeos

Lista do conteúdo

Classe: Mamíferos Ordem: Primatas Família: Tarsídeos

prossimios015
Existiam muitos no passado, e viviam no hemisfério norte. Hoje resta apenas um único gênero, com três espécies e doze subespécies.
Os Tarsídeos têm o tamanho de um rato.
Os membros posteriores são longos, adaptados ao salto; os dedos terminam em discos adesivos.

O tronco é arredondado, e o pescoço curto sustenta uma cabeça redonda, com olhos enormes, e que pode girar num ângulo de 180 graus.
As orelhas são enormes. A boca, com lábios grossos, tem 34 dentes.
Os membros posteriores têm os tarsos extremamente desenvolvidos, o que deu origem ao seu nome.
O polegar é reduzido e oponível, e as unhas arredondadas.

As espécies da família caracterizam-se:

• Pelas dimensões reduzidas – o comprimento total, incluindo a cauda, é de cerca de 40 cm.
• Olhos e orelhas extremamente desenvolvidos.
• Hábitos arborícolas, noctívagos e insetívoros.
• 34 dentes, havendo dois pares de incisivos superiores e um par inferior, que não funciona como pente.
• Membros posteriores alongados, adaptados ao salto.
• Dedos com unhas achatadas, munidos de discos adesivos.

tarso

Pessoas que conseguiram criar o társio em cativeiro dizem que ele é exigente com sua alimentação. Nunca aceita uma fruta que já tenha sido mordida por alguém ou por outro bicho, nem restos de comida. Para beber, recusa decididamente servir-se da mesma vasilha em que outro já bebeu.

Gosta de insetos e pequenos vertebrados, mas só os aceita se estiverem vivos.
Apesar de seu tamanho o társio é um dos muitos parentes do homem.
Como os do gato, os olhos do társio refletem a luz . Alguns nativos acham isso “diabólico”…rsPor haverem surgido antes dos símios, animais como o társio e como os lêmures são chamados de prossímios.
Animal muito irrequieto e irritadiço, o társio gasta alta soma de energia em seus movimentos nervosos e na constante tensão muscular. Por isso, em proporção ao seu tamanho, come quantidades muito grandes de alimento.O Tarsio está muito adaptado à vida noturna, principalmente os hábitos de alimentação e os olhos de pupilas grandes que aproveitam melhor a luz fraca do luar. Sua atividade é maior à noite, quando sai para capturar insetos.

Os Tarsídeos também come ovos de pássaros, frutas e brotos de folhas. Durante o dia ele passa o tempo dormindo.
Se a noite por um lado facilita ao társio a captura de mariposas e outros insetos noturnos, por outro oferece graves perigos à sua vida. Alguns animais predadores também são dotados de visão capaz de localizar presas no escuro, como a coruja e outras aves de rapina.

O társio-espectro

A cabeça redonda, os membros anteriores curtos e os posteriores longos, cauda mais longa que o corpo são os características que identificam o Tarsius spectrum, Não só suas feições e membros como também seus movimentos lembram os de uma perereca.

Os olhos, são relativamente os maiores entre os Mamíferos.
As orelhas são enormes e móveis, como as de alguns morcegos.
O pescoço e a cabeça parece grudada no tronco.
As mãos são alongadas. O dedo médio é três vezes maior que o polegar.
Na palma das mãos e na extremidade dos dedos aparecem os discos adesivos, dilatados.
As coxas são muito mais grossas que as pernas.
A planta dos pés é recoberta de pêlos ralos.
O artelho mais longo é o quarto. O segundo e o terceiro possuem as garras para pentear o pêlo.
A cauda é relativamente longa, e ele costuma utilizá-la como ponto de apoio quando fica em pé. Grossa em toda a extensão, só é fina na ponta, onde tem um tufo de pêlos.
O crânio caracteriza-se pelo tamanho das órbitas e pela textura dos ossos, que têm a espessura de uma folha de papel.
A pele é fina, e o pêlo macio que recobre a cabeça, o dorso e a parte anterior dos membros é mais curto nos flancos e na região ventral.
Em algumas zonas é tão fino que se torna quase invisível.
A coloração dominante é um cinzento-escuro manchado de castanho. Manchas brancas destacam-se atrás das orelhas e vêem-se reflexos amarelados no peito. O tufo da extremidade da cauda é mais escuro.
Seus muitos nomes indígenas e as lendas que o cercam atestam que os nativos o consideram como um ser extraordinário, ao mesmo tempo venerado e temido.
Os társios vivem nas florestas tropicais que crescem nas planícies ou nas regiões costeiras, às vezes nos bambuzais, e nas capoeiras que surgem após o corte das matas primitivas. Durante o dia, permanecem escondidos em ocos de árvores, escuros e úmidos. Aninham-se entre as raízes, especialmente as dos taquaruçus.
Machos e fêmeas formam pares unidos, e, quando um dos cônjuges é capturado, não é difícil apanhar-se o outro, que permanece nas redondezas.
Seus movimentos são espasmódicos. Deslocam-se por meio de saltos de mais de um metro, como as rãs.
Durante o dia mostram-se mais confiantes e menos tímidos. Animal que não teme o homem, o társio permite até que o acariciem.

Seus grandes olhos redondos, cuja pupila se dilata e se retrai com rapidez sob o efeito da luz, explicam, em parte, a auréola de superstição que cerca esses animais. Os malaios atribuem-lhes inúmeras qualidades mágicas.
Muitos acreditam que os társios são a reencarnação das almas dos malfeitores, e que são dotados de poderes sobrenaturais. O nome nativo “singa-pua”, dado pelos indígenas de Samatra ao társio-espectro, significa “pequeno leão” e que estaria ligado a uma antiga lenda segundo a qual este Prossímio, originalmente grande como o rei dos animais, teve suas dimensões reduzidas até o minúsculo tamanho atual. Os malaios temem-no tanto que, se o descobrem nas vizinhanças, abandonam imediatamente seus campos de arroz, persuadidos de que ficaram com “mau-olhado”. Seus hábitos alimentares estão também cercados de lendas.

Os malaios afirmam que os társios comem carvão e brasas. Mas sabe-se que ele come insetoslagartos e aranhas. Apreciam igualmente camarões.
Costumam seguir com os olhos a presa e saltar-lhe em cima, agarrando-a com as duas mãos e levando-a à boca.

Machos e fêmeas possuem um período de cio que não corresponde ao dos demais Prossímios, nos quais a periodicidade é aproximadamente mensal.
Em condições naturais, os társios são monógamos, e com frequência os filhos acompanham os pais até atingirem a idade adulta.
Impressões visuais e auditivas predominam. Os társios são animais silenciosos, raramente emitindo um grito ou um chiado.
A fêmea de Tarsius bancanus, de Samatra, Bornéu e ilhas vizinhas, é o mamífero que possui o maior número de cromossomos em suas células: oitenta.