BIO Curiosidades

Reprodução Artificial, Fecundação in vitro, Transferência de Embriões e Sexagem

Lista do conteúdo

Hoje vamos falar sobre reproducã-artificial.

O Brasil está na linha de frente das pesquisas nesta área, através de importantes centros de pesquisas, como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).
O mercado de genética em gado de corte se aplica aos rebanhos de cria, recria e engorda,ou seja, a maior parte dos bovinos de corte do Brasil.
Estes rebanhos são especializados na produção comercial de animais, cujo manejo tem por objetivo final o abate para a produção de carne.

reproducao-artificial

É possível criar animais e selecionar os melhores animais, procurando fazer acasalamentos controlados em busca dos resultados obtidos pelos descendentes, resultando na produção e comercialização de touros melhoradores, sêmen, embriões, doadoras e matrizes.

O objetivo disso é a busca incessante por bovinos cada vez mais adaptados às pastagens brasileiras; mais resistentes a parasitas internos e externos; que sejam precoces; com ótima conformação de carcaça e que produzam carne de qualidade.
Em relação às fêmeas, objetiva-se também precocidade, fertilidade e habilidade materna.

cientista olhando reproducao-artificial

Reprodução Artificial: Transferência de embriões

A Transferência de Embriões resume-se na utilização de uma fêmea geneticamente superior, com um macho também geneticamente superior, objetivando multiplicar o número de indivíduos nascidos de um mesmo animal, em menor período de tempo.
Se a fêmea não precisar gerar, parir e amamentar o filhote, poderá produzir (até por uma questão de tempo) muito mais embriões, que serão gerados, paridos e amamentados por outras vacas.

O número de descendentes que uma fêmea pode gerar durante sua vida é pequeno, em relação ao número de ovócitos que é capaz de produzir.
A transferência de embriões tem o objetivo de aumentar a capacidade da fêmea de produzir óvulos férteis, aumentando conseqüentemente o número de descendentes.

É um importante instrumento para acelerar o processo de seleção animal, ampliando a capacidade de multiplicação de animais geneticamente superiores.

Os touros melhoradores de rebanho se originam do acasalamento entre as melhores vacas e os melhores touros de diversos rebanhos de elite.
Eles têm sua capacidade de transmitir características positivas comprovadas por meio do teste de progênia, em programas de melhoramento genético entre rebanhos.

As Doadoras são obtidas a partir de acasalamento entre os melhores touros, e fêmeas que se destacam em termos de precocidade, fertilidade, habilidade materna e avaliação de tipo.

Esses bovinos são os produtos dos programas de melhoramento genético, resultado de um esforço de seleção e acasalamento, que exige grande dedicação. Por isso, é de concluir que eles devem gerar o maior número de descendentes possível, que, por sua vez, se tornarão reprodutores nos rebanhos comerciais.

A distribuição da genética melhoradora pode ser feita por meio da comercialização de sêmen, coletado em touros de alto valor genético.

Reprodução Artificial: Fecundação in vitro

É uma técnica de importância crescente para o melhoramento genético.
Tanto a fecundação in vitro como a transferência de embriões, podem contribuir decisivamente para maior eficiência reprodutiva nos rebanhos de elite, pois são instrumentos de multiplicação rápida do material genético melhorado, determinando o encurtamento do intervalo entre gerações, o que permite a intensificação da seleção, aspectos fundamentais para o avanço do melhoramento genético.
A fecundação in vitro é uma biotécnica utilizada como alternativa para acelerar, a produção de animais geneticamente superiores. Juntamente com a inseminação artificial e transferência de embriões, a fecundação in vitro é uma técnica responsável pela rápida progressão, genética, principalmente em animais de produção.

Esta técnica permite que uma reprodutora produza centenas de bezerros em um mesmo ano, além de evitar o descarte precoce de fêmeas geneticamente privilegiadas, portadoras de alterações adquiridas que impeçam que a reprodução ocorra de forma natural

É feita em 5 etapas

1. aspiração folicular;
2. maturação ovocitária;
3. fecundação;
4. cultivo embrionário;
5. transferência dos embriões.
Esta técnica permite, ainda, puncionar bezerras e novilhas, ficando assim evidente que o intervalo entre gerações é reduzido.

Reprodução Artificial: Sexagem

A técnica de sexagem permite distinguir o sexo do animal antes de nascer na fertilização.

Entre as vantagens da técnica da sexagem, estão a possibilidade de diminuir um dos maiores entraves da transferência de embriões, que é o rebanho de receptoras, seu manejo, alimentação, uso de vacinas e medicamentos. Isso porque somente as preferidas fêmeas (no caso do animal de elite de corte e de leite) serão transferidas, exigindo, desse modo, um número menor de barrigas de aluguel.
Dessa forma, ganhamos muitas etapas no processo. Ao invés de barrigas de aluguel de menor qualidade, que pode oferecer risco sanitário com animais de fora do rebanho, a vaca de alta genética vai gerar o animal transferido. O que gera um ganho na qualidade genética do bovino nascido e com o sexo definido.

A sexagem de embriões pode ser realizada até em laboratório móvel e com o resultado obtido no mesmo dia, e já é aplicada em vários estados, beneficiando grandes produtores de leite e criadores de animais de elite.

Você pode gostar de ver tambémcavalos jersey,holandessimentalnelorebovinos , zebragirafajaguatiricabugiucupim, formiga